Mi Serena

Questão de controle.

Posted by in casos

Dia desses no twitter, eu li uma pergunta que me fez pensar: Existe mãe que não seja controladora?  Dai, nós mães super descontraídas, veganas, que não usamos shampoo com  sulfato e só comemos orgânicos, e colocamos os filhos em escolas waldorf respondemos em uníssono: Claro! Eu não sou NADICA controladora! Crio meu filho para o mundo, para que seja livre e faça suas próprias escolhas! cof cof cof! Eu mesma me via super aberta, super desconstruidona, A moradora da zona leste de BH, frequentadora de museus e bares alternativos. Dai veio…read more

Sinal de fumaça.

Posted by in casos, Uncategorized

Sumi,né? Sumi sim. Tô bem? Tô bem sim. A família tá joia? Tá joia. 😉 Pois é, faz um tempo que percebi que as redes sociais me deixavam estressada, angustiada e com muita ansiedade. Dai eu decidi que já era hora de cortar um pouco desse vício, ou seria fuga? Sei lá, só sei que abandonei o Facebook e o Instagram. Parte dessa “decisão” foi tomada após a leitura de uma newsletter da Aline Valek (Acho que já comentei que AMO as newsletters e os textos dela), segue um trechinho…read more

Andança

Posted by in casos

“Apesar de conhecer a jornada toda e o seu final, eu aceito. E acolho todos os momentos dela.” Se conseguisse ver sua vida toda, do começo ao fim, você mudaria alguma coisa? Essa frase é do filme chamado “A Chegada”, onde a protagonista, mesmo sabendo dos percalços que enfrentaria, resolve abraçar o seu futuro. E foi assim com você, minha filha. REBOBINA, REBOBINA,REBOBINA. VAMOS COMEÇAR DO COMEÇO. Você nasceu com artrogripose, você andou com 1 ano e 9 meses, depois de muitos tratamentos. Nós duas ali, pegando o ônibus que nos…read more

Aquelas infames aulas de educação física.

Posted by in casos, fit

Acho que já mencionei aqui que eu sou uma péssima esportista, se não o fiz, fica aqui registrado: Sou ruim em esportes em geral. Nas minhas infrutíferas tentativas de começar a correr eu já: Tropecei num CATADIÓPTRICO aka olho de gato, como também já dei de cara com um poste. Não sendo tudo isso humilhante o suficiente, eu já cai de uma bicicleta, uma bicicleta de spinning, sim. A bicicleta paradinha e eu cai, igual uma jaca madura, para espanto de todos presentes na aula. Dai que essa semana eu li…read more

Tragédias Humanas

Posted by in casos

Que a vida é um ciclo todo mundo sabe. Se tudo der certo, a gente nasce, cresce, trabalha, aposenta, envelhece e morre bem velhinho. Mas nada é linear. As coisas acontecem e algumas vezes não há nada que possamos fazer. Li um texto na newsletter do Tarrask , que dizia mais ou menos assim: Se você não pode mudar determinada coisa com dinheiro ou força, é melhor aceitar que foi uma fatalidade. Pois sim, fatalidades acontecem toda hora, com todo mundo, sejam ricos ou pobres. Gente morre engasgada com uma coxa de…read more

Vade Retro, 2016!

Posted by in casos

Oi, pessoas! Fazer um apanhado do ano de 2016 é complicado. Ao mesmo tempo que o ano foi denso, eu também não me ajudei em nada. Ou seja, como esperar alguma melhora se meus atos não mudaram? O lado bom: Serena andou, cresceu, desenvolveu e desfraldou de maneira rápida. (Ponto para ela) O lado ruim: Eu engordei, fiquei inerte, não fiz absolutamente NADA por mim. Seja trabalhar, esporte ou hobbie. Deixei a ansiedade dominar, corroí lembranças e pensamentos até que não houvesse mais nenhuma gota de amor próprio. Tive dias…read more

Afinal quem sou eu?

Posted by in casos, Desabafo

Você já se fez essa pergunta? Eu nunca me fiz. ( Apesar de algumas vezes, ficar diante do espelho e repetir meu nome e o lugar onde estou) Mas me fizeram. E eu não soube responder. Acho que grande parte deste não-saber é que às vezes confundo ser e estar. Entende? Eu sei que estou desempregada, sei que minha tez é clara, meus cabelos são, invariavelmente, grisalhos. Sei que gosto de músicas do estilo Antena 1, nada que alvoroce muito o ambiente. Sei também que adoro literatura, medicina, seriados, cheiros,…read more

Olá!

Posted by in casos, Uncategorized

Parece que faz anos, talvez faça. Ou talvez não, sei lá…a percepção do tempo pode variar de pessoa para pessoa, mesmo que o mundo e os relógios digam o contrário. “O relógio faz da vida uma peleja, Tem de pulso, de parede até na igreja. Mede as horas e por isso é tão estranho, Se toda hora tem sempre o mesmo tamanho.” Érika Machado – Relógio Mas digamos que eu deixei esse espaço largado por um bom tempo. Razões? Nenhuma. Tempo? Tinha tempo sim. Vontade? Tinha vontade sim. Mas faltou…read more

Duas voltas em volta do sol.

Posted by in casos, Dificuldades

Filha, Passaram-se dois anos desde a sua chegada. Num primeiro momento eu tive medo de tudo. Tive medo de não conseguir te amamentar, e você foi amamentada. Tive medo das cólicas nunca passarem, e suas cólicas passaram. Tive medo de você nunca se acostumar com comidas sólidas, e você se acostumou. Tive medo de você nunca se sentar sozinha, e você se sentou. Tive medo de você não conseguir engatinhar, e  você engatinhou ( do seu jeito). Tive medo de você não se levantar, e você se levantou. Tive medo de…read more

0

Pelo direito à tristeza.

Posted by in casos, Desabafo

Com a profusão dos movimentos “Good Vibes”, “Blessed”, “Gratidão” e afins, ficar triste virou quase um crime inafiançável. Por qualquer lado que se olhe na internet tem alguém postando fotos em poses de yoga, com filtros lindos e visuais in-cri-veis! Com tanta “benção” não dá para se sentir triste,verdade? Hoje em dia a tristeza é feia, a pessoa triste nada mais é que uma mal agradecida. Não dá para derramar uma lagriminha que lá vem a gangue da benção te dizer: – LARGA DE BOBAGEM!VOCÊ É SAUDÁVEL!TEM GENTE MORRENDO NA…read more