Educação e sensibilidade.

Posted by in Desabafo, Dicas

Dia desses, eu li um post que listava 10 coisas que não se deve dizer aos pais de uma criança com síndrome, ou deficiência. Eu concordei com quase tudo, e tomo a liberdade de citar mais alguns.

1. O que ele tem?

Eu sou uma pessoa tranquila, na maior parte do tempo, mas algumas coisas me irritam! E uma dessas coisas é empregar mal uma palavra ou termo. Eu detesto que me perguntem o que a Serena tem. Porque ela tem dois braços, duas pernas, cabelo claro e olhos azuis.

Prefiro que me perguntem qual o nome da síndrome dela. Sei que parece besteira, mas para MIM, faz diferença.

2. Não encare. 

Eu não passo por este tipo de constrangimento, pois a Serena não possui nenhuma deformidade aparente. Na verdade, as pessoas quase nunca percebem que ela possui AMC. Mas imagino que deve ser uma situação  constrangedora.

3. Não compare seu bebê com o outro.

Todo ser humano é diferente, e não seria diferente com os bebês, tenham eles limitações ou não. No caso da Serena, eu já ouvi uma pessoa falando: -Nossa!Na idade dela, meu filho/a pesava 3 kilos a mais. 

Nossa!Sério? Quer que eu te parabenize? rsrsrs 

4. Não ignore a situação.

Se por um lado, encarar é extremamente desconfortável, as pessoas ignorarem a condição da criança afetada também não é muito bom.

Eu sinto que as pessoas evitam comentar sobre a AMC da Serena comigo, e eu entendo que talvez seja por medo que eu me sinta desconfortável.

Mas pelo contrário, eu gosto de falar sobre a condição da Serena!Eu gosto de esclarecer dúvidas,afinal, AMC é muito raro!

Adoro compartilhar os avanços da pequena! E também adoro chorar minhas pitangas, HAHAHA. Dizer o quanto eu estou cansada, o quanto é desgastante ter que entrar na piscina com ela e minhas pernas cabeludas.

Ou seja, converse! Ofereça seus ouvidos, pergunte!Mas tenha delicadeza!

5. Seja discreto.

– Nossa, Camila! Você fala para não encarar, não ignorar e ser discreto,sua LOUCA!

Gente! É uma questão de ser sutil. Da mesma forma que eu gosto de falar da condição da Serena, tem uma hora que eu não quero. Afinal, a síndrome é só uma das características dela, não é a Serena, é parte dela.

Give it a break! Saiba a hora de mudar de assunto. Como diz meu marido em argentinês: No sea pesado! Ou seja, não seja pesado!

6. Ofereça ajuda!

Ficou sabendo que a amiga, parente, etc etc, tem um filho/a com alguma condição especial? Não sabe o que dizer?

Ofereça ajuda! Garanto que funciona!

Eu não falo de ajuda monetária, não. Qualquer ajuda é bem-vinda. Minha família me ajuda com a presença física, levando a pequena para a fisioterapia, acompanhando a gente na hidro…

7. Cuidado com os termos!

Mongoloide, retardado, aleijado, mongol…a lista é interminável! Que tal chamar a criança pelo nome dela? Hein?Hein? Fácil, assim de fácil.

Enfim, basta ter educação e sensibilidade!

*imagem retirada do site climatologiageografica.com