Papo Sério.

Posted by in Desabafo, Uncategorized

Peço que antes de ler este post, você guarde todas as pedras no bolso, e leia com atenção e até o fim,ok?

Eu relutei muito em escrever o que estou prestes a escrever. Relutei mesmo. O assunto é sério, e o assunto é tabu.

Mas eu como mulher e mãe preciso falar sobre ele, e acho que todo mundo precisa conversar e refletir sobre isso.

Vamos falar sobre ABORTO? Vamos?

É um assunto muito sério. E ele existe. E está mais perto do que a gente imagina.

Segundo um estudo de 2010 realizado pela UnB, uma a cada cinco mulheres já realizou ao menos um aborto na vida. Estima-se que pelo menos 7 milhões de brasileiras já tenha interrompido uma gravidez.

Sabe-se também que o aborto clandestino é a 5ª maior causa de morte maternas no Brasil.

Eu NUNCA faria um aborto, nem mesmo no caso de estupro ou feto com má formação, mas esta é uma decisão minha. Não posso exigir que milhares de mulheres façam e pensem como eu, afinal, cada uma possui uma vida, uma trajetória única.

EU não acho que o aborto deva ser punido com prisão, não acho que a mulher que aborta deva ser levada diante de um tribunal do juri. Não mesmo!

Há aqueles que dizem:

“-Mas tem tanta gente querendo ter filhos! É melhor ter e dar para adoção”.

Olha, uma gestação é uma coisa complicada, mesmo para aquela mulher que tem total apoio da família, e uma vida minimamente estruturada, IMAGINE para uma mulher que não tem apoio nenhum!

“Na hora de fazer tava bom, agora aguente as consequências!”

Desde quando filho é punição,gente? Desde quando filho é mera consequência de sexo desprotegido?

“Sou a favor no caso do estupro!”

Entendi..a vida do feto fruto do estupro vale menos que aquela feita na noitada divertida,né? Vida é vida,ok?

“Mas vai banalizar…”

Não acho que uma mulher em sã consciência vá usar o aborto como método contraceptivo, e se ela o fizer, será que essa criatura está apta para ser mãe?

“Mas é crime, é ilegal”

Olha, até a década de 70, o divórcio era ilegal. Não faz muito tempo, a vítima do estupro era somente a “Mulher Honesta”. Ou seja, a lei muda conforme os usos e costumes da sociedade.

Eu acho que nosso julgamento moral acerca da mulher que aborta não acrescenta em nada, aborto não é uma questão de moral, é saúde pública!Fato é que milhares de mulheres o cometem. Será que elas merecem morrer em uma clinica clandestina?Por que não dar tratamento adequado para elas?

Se você ficou com vontade de me xingar, peço que volte ao inicio do texto, e acate meu pedido.

Update —> Links interessantes sobre o tema:

1. Clandestinas

2. Blog do Sakamoto

3.  Desafio